"DIU" e "Pílula do Dia Seguinte" poderão ser proibidos no Brasil
06/02/2019 11:45 em Política & Economia

Projeto de Lei nº 261/2019 apresentado pelo deputado federal Márcio Labre (PSL/RJ) pretende proibir o comércio, a propaganda e a distribuição – inclusive pelo SUS – de métodos contraceptivos. Atualização da notícia(07/02) 9h40: bombardeado nas redes sociais, Labre pediu desculpas às mulheres e disse que o PL entrou na pauta pois "passou batido" e que era apenas um rascunho, solicitou a retirada.

Na lista de proibições aparecem: dispositivo intrauterino (DIU), a pílula só de progestógeno (minipílula), o implante subcutâneo de liberação de progestógeno (Norpant), a pílula do dia seguinte, a pílula RU 486, a vacina anti-HCG e qualquer outro método semelhante aos citados.

 

Na justificativa para a propositura do projeto, Labre entende que estes métodos não são contraceptivos e sim microabortivos e, portanto incompatíveis com a vida nos preceitos divinos.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!