Estudo Demonstra que Leilão do Pré-Sal dos Campos da Cessão Onerosa é um péssimo negócio para o Brasil
05/11/2019 10:11 em Política & Economia

Os Campos da Cessão Onerosa, localizados na região do Pré-sal brasileiro e descoberto pelos esforços da Petrobras, possui reservas recuperáveis estimadas em torno de 15,2 bilhões de barris, podendo chegar a montantes superiores.

Atualmente as reservas brasileiras de petróleo, oficialmente reconhecidas, todas do pós-sal, alcançam 13 bilhões de barris. Porém os anúncios de recursos comprovados indicam quantidade da ordem de 100 bilhões de barris, o que coloca o País numa posição de relevância internacional, somente abaixo da Venezuela e Arábia Saudita, e próxima do Canadá, Irã, Iraque, Rússia, Kuwait e Emirados Árabes.

Estudo realizado por dois respeitados pesquisadores com experiência em gestão de petróleo e geopolítica estratégica de preços internacionais, Ildo Sauer (Professor Titular da Universidade de São Paulo) e Guilherme Estrella (Geólogo e ex-diretor de produção da Petrobrás) publicado em forma de nota técnica, demonstra que o Leilão que o governo quer fazer do pré-sal, da parte onerosa, fere o interesse nacional e coloca o Brasil refém dos fabricadores de preços da OPEP – Organização dos países exportadores de petróleo em casos de conflitos internacionais.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicou a versão final do Edital 1 da Licitação de Partilha de Produção para os volumes adicionais contratados nos campos da cessão onerosa.

No estudo, os pesquisadores demonstram que Nenhum dos países detentores de grandes reservas, com potencial impacto na Geopolítica do petróleo, quando os recursos naturais pertencem ao Estado, como no Brasil, promovem leilões deste tipo: ou exploram os recursos mediante empresa 100% estatal, ou outorgam contratos de prestação de serviços, quando necessário.

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!