CPI da ENEL apresenta relatório Hoje
16/12/2019 12:35 em Política & Economia

O relatório final dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis irregularidades no fornecimento de energia elétrica por parte da empresa Enel será apresentado nesta segunda-feira, 16, às, 14 horas, no auditório Solon Amaral. O presidente da CPI, deputado Henrique Arantes (MDB), e o relator, Cairo Salim (Pros), adiantaram que a Comissão colheu dados suficientes para solicitar punição legal para a empresa italiana, responsável pela distribuição de energia elétrica no Estado de Goiás.

Uma série de audiências públicas foi realizada durante o ano de 2019, em municípios de diferentes regiões do estado, com o intuito de ouvir as demandas e reclamações da população sobre o fornecimento de energia elétrica por parte da concessionária Enel. O último encontro, comandado pelo deputado Alysson Lima (Republicanos), membro titular da CPI, ocorreu na sexta-feira, 13, em São Luís de Montes Belos.

‘‘A Enel mente nos jornais e mente quando fala que investe no estado de Goiás. Eles falam que investem por volta de 700 milhões de reais por ano e isso é mentira. Hoje tivemos a informação pela Aneel que a empresa italiana investe cerca de 450 milhões de reais, ou seja, 300 milhões a menos do que está divulgando sobre investimentos’’, ressaltou Henrique Arantes, depois da reunião de membros da CPI com superintendente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Cairo Salim disse que solicitou à Aneel que priorize estudos sobre a situação do fornecimento de energia no Estado de Goiás. ‘‘Se Goiás é o pior estado na distribuição de energia, e temos uma agência reguladora desse porte, ela deve focar em Goiás e nos ajudar. Nós viemos aqui pedir isso", afirmou. 

A CPI da Enel também tem como membros titulares os parlamentares Diego Sorgatto (PSDB), que é vice-presidente; e Chico KGL (DEM). Já os suplentes são os deputados Gustavo Sebba (PSDB), Rafael Gouveia (Progressistas), Antônio Gomide (PT), Amilton Filho (Solidariedade) e Delegado Eduardo Prado (PV).

Fonte: Alego

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!