fbpx
Rescisão Indireta por Modificação Unilateral de Contrato: O Que Você Precisa Saber

Rescisão Indireta por Modificação Unilateral de Contrato: O Que Você Precisa Saber

Rescisão Indireta por Modificação Unilateral de Contrato: seus direitos explicados.

A rescisão indireta por modificação unilateral de contrato é um assunto importante que todos os funcionários devem conhecer. Quando um empregador altera de forma significativa e sem consentimento os termos do contrato de trabalho, o empregado pode ter direito a rescindir o contrato e receber indenização. Neste artigo, vamos explicar de maneira clara e objetiva o que caracteriza essa rescisão, quais são seus direitos e como você deve proceder para garantir seus interesses.

O que é a Rescisão Indireta por Modificação Unilateral de Contrato

A rescisão indireta ocorre quando o empregado é obrigado a romper o contrato de trabalho devido a uma falta grave cometida pelo empregador. No caso da modificação unilateral do contrato, o empregador altera termos do contrato de trabalho sem o consentimento do funcionário. Essas alterações podem incluir mudanças no salário, nos horários de trabalho, nas funções desempenhadas ou no local de trabalho.

Segundo a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), a modificação unilateral que prejudica o trabalhador pode ser considerada um motivo para a rescisão indireta. O artigo 483 da CLT prevê que, quando o empregador comete falta grave, como alterar as condições acordadas sem a anuência do empregado, este tem o direito de rescindir o contrato e pleitear as verbas rescisórias devidas.

Isso significa que o empregado pode considerar o contrato rescindido e buscar seus direitos na justiça caso o empregador mude o contrato de maneira que cause prejuízo ou desvantagem ao trabalhador. É fundamental que o empregado mantenha registros e provas dessas modificações para fundamentar a rescisão indireta.

Quais são seus direitos como funcionário

Como funcionário, você possui diversos direitos quando se trata de rescisão indireta por modificação unilateral de contrato. Um dos principais direitos é o de receber todas as verbas rescisórias devidas como se a rescisão tivesse sido direta por parte do empregador. Isso inclui o saldo de salário, aviso prévio indenizado, 13º salário proporcional, férias proporcionais acrescidas de um terço, entre outros.

Além desses, você também tem direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) com acréscimo de 40%, que é uma compensação adicional pela dispensa sem justa causa. Ao solicitar a rescisão indireta, também deve lhe ser garantido o direito de saque do FGTS e ao ingresso no programa do seguro-desemprego, caso cumpra os requisitos necessários.

Em situações de rescisão indireta, também há possibilidade de ingressar com uma ação trabalhista para reivindicar possíveis direitos que não foram devidamente observados pelo empregador. Isso pode incluir reclamações por danos morais, caso a modificação unilateral tenha prejudicado sua honra ou imagem profissional.

Como proceder em caso de rescisão indireta

Em uma situação de rescisão indireta, é crucial seguir alguns passos importantes para garantir que seus direitos sejam respeitados. Primeiramente, reúna todas as provas que demonstrem a modificação unilateral do contrato por parte do empregador. Isso pode incluir e-mails, mensagens, comunicações internas e qualquer documento que mostre as mudanças unilaterais feitas no seu contrato de trabalho.

Em seguida, notifique o empregador por escrito sobre as irregularidades constatadas. Esse comunicado deve ser formal e indicar claramente que você está ciente das modificações, manifestando sua discordância e solicitando uma revisão das mudanças impostas. É fundamental guardar uma cópia desse comunicado e tentar obter um protocolo de recebimento.

Se não houver uma solução amigável, o próximo passo é registrar uma queixa junto ao Ministério do Trabalho. Nesse momento, é interessante contar com o auxílio de um advogado especializado em direito trabalhista para oferecer orientações e apoio durante todo o processo.

Uma vez que o caso seja levado à Justiça do Trabalho, será iniciado um processo judicial onde todas as evidências serão apresentadas. É importante estar preparado para comparecer às audiências, prestar depoimentos e cooperar com avanço do processo.

Ao final, caso a Justiça do Trabalho reconheça a rescisão indireta, você terá direito a receber todas as verbas rescisórias como se tivesse sido demitido sem justa causa. Isso inclui aviso prévio, férias proporcionais, 13º salário proporcional, saldo de salário, FGTS (com multa de 40%) e as devidas guias para solicitar o seguro-desemprego.