fbpx
Você está doente e sendo obrigado a trabalhar? Conheça seus direitos aqui!

Você está doente e sendo obrigado a trabalhar? Conheça seus direitos aqui!

Você está doente e sendo obrigado a trabalhar? Saiba quais são seus direitos trabalhistas.

Se você está doente e sendo obrigado a trabalhar, é essencial entender seus direitos para proteger sua saúde e bem-estar. Neste post, discutiremos os direitos garantidos pela legislação, como comunicar seu empregador e quando buscar ajuda legal. Saiba tudo o que você precisa para se proteger em situações adversas no ambiente de trabalho.

Os direitos garantidos pela legislação

Quando um trabalhador está doente, a legislação brasileira assegura uma série de direitos para garantir sua saúde e bem-estar. Um dos principais direitos é o afastamento médico remunerado. Se o afastamento for inferior a 15 dias, a empresa deve arcar com o pagamento do salário. Após esse período, a responsabilidade pelo pagamento passa a ser do INSS.

Outro direito importante é a estabilidade no emprego. Trabalhadores que são afastados por problemas de saúde e recebem auxílio-doença têm direito à estabilidade no emprego por um período de 12 meses após o término do benefício. Isso significa que, após retornar ao trabalho, o trabalhador não pode ser demitido sem justa causa durante esse período.

Além disso, a legislação garante que ninguém deve ser obrigado a trabalhar em condições que possam agravar sua saúde. Se o trabalhador apresentar um atestado médico recomendando o afastamento do trabalho ou uma mudança nas condições de trabalho, o empregador é obrigado a respeitar essas recomendações.

O direito a consultas e tratamentos médicos também está previsto por lei. Empregados têm o direito de se ausentar do trabalho para a realização de consultas ou tratamentos sem que isso implique em perda de salário, desde que devidamente comprovado por atestado médico.

Como comunicar seu empregador

Na situação em que você está doente e ainda assim sendo obrigado a trabalhar, comunicar seu empregador adequadamente é crucial. Aqui estão alguns passos essenciais para garantir que a comunicação seja eficaz e você esteja protegido conforme a legislação:

  • Certificado Médico: Obtenha um atestado médico que comprove sua condição de saúde. Este documento é fundamental para validar sua necessidade de afastamento.
  • Formalização: Envie o atestado médico ao seu empregador de maneira formal. Utilize e-mail ou entregue uma cópia física, sempre guardando comprovantes de envio ou recebimento.
  • Clareza na Comunicação: Seja claro e objetivo ao informar seu estado de saúde. Explique a situação detalhadamente e informe o período necessário de afastamento conforme orientação médica.
  • Direitos Trabalhistas: Lembre o empregador dos seus direitos trabalhistas garantidos por lei, como o direito ao repouso remunerado e tratamento médico adequado.
  • Registrar Conversa: Mantenha registros de todas as comunicações feitas com seu empregador, seja por escrito ou em formato de e-mail. Isso pode ser útil caso você precise comprovar suas ações futuramente.

Quando buscar ajuda legal

Buscar ajuda legal é essencial em situações onde seus direitos trabalhistas estão sendo violados. Se você está doente e seu empregador está exigindo que você continue trabalhando, isso pode configurar uma violação das leis trabalhistas.

Primeiramente, é importante entender que a legislação brasileira protege o trabalhador em situações de doença. Caso você tenha um atestado médico, o empregador deve respeitar o período de afastamento indicado pelo médico.

Se o empregador se recusar a aceitar seu atestado ou continuar exigindo seu trabalho durante o período de doença, você pode estar diante de um caso de assédio moral.

Assédio moral é uma prática ilegal

e você tem o direito de buscar reparação na Justiça do Trabalho.

Além disso, se sentir que está sendo pressionado injustamente ou se a situação está causando desgaste emocional, é importante buscar orientação de um advogado especialista em direito trabalhista. Ele pode orientar sobre os próximos passos, desde a coleta de provas até a abertura de um processo judicial, se necessário.

Documente tudo, desde conversas, e-mails e qualquer comunicação que evidencie a exigência do empregador para que trabalhe doente. Esse material será fundamental caso decida levar o caso adiante.